segunda-feira, outubro 10, 2005

Glendalough, Irlanda.

As Wicklow Mountains são imensas e austeras. Tem mais erva do que árvores. Vários rios e alguns lagos. Aqui e ali há turfeiras. São frequentemente apelidadas de jardim da Irlanda. O aspecto geral destas montanhas, na primavera, é parecido com o das colinas transmontanas na primavera: tudo muito verde, com muitas giestas amarelas. Por todo o lado há vacas e ovelhas.



Glendalough, em gaélico Gleann da Locha, o vale dos dois lagos, é um dos mais fantásticos locais monásticos do país. O vale é edílico, atravessado por um rio de águas muito limpas e frias que liga os seus dois lagos (o superior e o inferior). Há ali um mosteiro, dividido em pequenos edifícios, algo inorgânicos. Foi fundado no século VI, por Saint Kevin, um dos fieis seguidores de Saint Patrick, o introdutor do cristianismo da Irlanda e padroeiro da ilha. Aliás, Saint Kevin veio a ser sepultado no local, na Saint Mary’s Church, igreja católica do século X.

Além desta igreja, o conjunto monumental religioso inclui cruzes em pedra, capelas e uma torre redonda. As torres redondas são edificações comuns na Irlanda central. Eram usadas pelos monges para armazenar e proteger manuscritos e utensílios valiosos. Não se sabe ao certo quando começaram este tipo de torres a ser construídas, mas supõe-se que terá sido quando os vikings começaram a saquear as costas da Irlanda. Esta, como as outras, é construída em granito e tem mais de 30 metros de altura (a base terá cerca de 5 metros de diâmetro).

No vale há um hotel, com restaurante.
Glendalouch, no coração das Wicklow Mountains, fica na província de Leinster, condado de Wicklow, a cerca de 40 quilómetros ao sul de Dublin.

Sem comentários: