sexta-feira, novembro 04, 2011

Cracóvia, Polónia

Passou o viajante pela antiga e histórica capital da Polónia num mês de Abril frio e gelado. Tanto, que as fotográficas que tirou, ficaram ainda mais fracas do que o habitual. Mas apesar disso, conseguiu aperceber a enorme alma desta cidade, que durante vários séculos (do século XI ao século XVI) foi capital e residência de reis e por isso centro importante de artes e ciências.
O seu centro histórico foi declarado património da Humanidade em 1978 – foi a primeira lista de locais outorgada pela Unesco e Cracóvia fez parte deste reduzida lista de lugares. Recorda, em particular, o viajante, a Praça Rynek Glowny, um enorme espaço quadrado de 200 metros de lado, do qual se diz ser a maior praça medieval da Europa. No meio, está o antigo mercado dos panos, um edifício do século XIII (embora tenha sido ampliado com elementos góticos e renascentistas), desde sempre dedicado ao comércio, actualmente repleto de lojas de artesanato. Mas impressionou-o também a cidadela de Wawel, nas margens do Vístula, encimada pelo castelo de Cracóvia, que durante séculos foi ocupado pelos reis da Polónia – é um edifício de origem medieval, mas modernizado no início do século XVII, em estilo renascentista. É visitável. No mesmo recinto fica também a catedral, em cujo interior ficam os túmulos reais. Aqui eram tradicionalmente coroados os reis polacos – e aqui eram enterrados também.

Sem comentários: