terça-feira, novembro 01, 2011

Neues Museum, Berlim


Visitou, há anos, o viajante, um espaço nos arredores de Berlim que se chamava Ägyptischesmuseum e ficava na zona de Charlottenburg. Dele reteve, em particular, o esfíngico busto da egípcia Nefertiti, que foi a rainha do faraó Akhenatom e é uma das poucas esposas de faraó que ficaram para a história. Como personagem, é discreta na história do Egipto, mas a sua serena beleza impressionou muito o viajante. Aliás, recordava bem esta icónica imagem dos livros de História do ensino secundário.
Neste Museu Egípcio reunia-se uma enorme colecção de objectos levados do Egipto para Berlim por arqueólogos alemães, ao longo dos séculos XIX e XX. Muitos deles têm sido reclamados, sem sucesso, pelas autoridades egípcias.

Entretanto, em 2005, o museu fechou e a sua colecção foi transferida para o Neues Museum. Na altura, este museu estava fechado, desde 1945, mas estavam em curso obras para o reabrir. E assim veio a acontecer, em Outubro de 2009: desde então, o mais famoso busto da antiguidade e toda a restante colecção egípcia estão no Neues Museum, na Ilha dos Museus. Nesta ilha, a meio do rio Spree, no bairro de Mitte, estão instalados cinco museus de história e arte: o Altes Mueum (dedicado à antiguidade clássica), o Neues Museum, a Alte National Galerie (arte do século XIX), o Pergamom Museum (de que já se deixou nota aqui e o Bodemuseum (escultura, numismática, pintura e arte bizantina). Esta ilha foi já classificada património da Humanidade, pela UNESCO, em função da densidade de museus que ali estão instalados.

Sem comentários: