sexta-feira, setembro 14, 2007

Copacabana

O nome desta praia brasileira é mítico para qualquer viajante que se orgulhe de o ser. Invocado, nada mais é necessário adiantar para se saber que se fala de uma das referências de destino planetário de eleição.
O que actualmente é um ícone começou por ser uma longa e branca praia deserta, de águas paradas e quentes, nos arredores da antiga cidade história do Rio de Janeiro. No início do século XX, a rica burguesia do Rio, à época capital federal, escolheu estes quase cinco quilómetros de paraíso para instalar as suas casas de lazer e veraneio. Quando o clima e a placidez do local o puseram na moda, surgiram os hotéis, onde se hospedavam estrangeiros ricos. É desse tempo a construção do velho mas muito actual e charmoso Hotel Copacabana Palace, ainda hoje símbolo de glamour e sofisticação.

Actualmente já não há vestígios dos chalés do início do século passado: toda a faixa costeira está plantada de hotéis e de arranha-céus onde vivem ricos e famosos – Óscar Niemeyer, por exemplo, gosta de ser fotografado no seu apartamento com vista sobre a praia. Porém, visitar Copacabana é mais do que evocar um passado resplandecente e um presente vibrante: é mergulhar numa experiência sociológica imperdível. Copacabana é uma peça imprescindível no mosaico de sensações que compõem a visita ao Rio de Janeiro e ao Brasil. A riqueza de Copacabana está nas pessoas que aqui vivem e que frequentam a praia, às centenas de milhares, percorrendo o calçadão da Avenida Atlântica. São turistas, banhistas, habitantes do bairro e, sobretudo, pessoas das favelas da cidade, que vêm aqui ganhar a vida vendendo de tudo: comida, sumos, água de coco, toalhas de praia, fatos de banho (fios dentais e sungas) ou artesanato. Na areia, joga-se futebol de praia ou futevólei. Basta chegar, manifestar vontade de jogar e logo que houver lugar no time, pode jogar-se. De volta ao calçadão, ouve-se música dos muitos grupos de rua que aqui ganham a vida. Ou bebe-se um chôpe geladinho numa das inúmeras barraquinhas que aqui se chamam quiosques, abertos pela noite dentro.

O bairro e a praia de Copacabana ficam na chamada Zona Sul da cidade do Rio de Janeiro. É nos hotéis desta zona que costumam ficar os turistas de visita à cidade, longe das maiores favelas e dos bairros violentos da zona antiga, do Flamengo e do Botafogo. Fica a uma hora de táxi dos aeroportos e é servida por uma linha de metrô, que liga ao centro histórico da cidade.

2 comentários:

Realidade medieval,Republica Tcheca, pós comunista disse...

Fiquei toda emocionada lendo suas palavras, Copacabana é uma praia que acolhe a todos com o espirito.

pv disse...

Muito obrigado pela sua visita e pelo seu comentário. Volte sempre.