domingo, agosto 22, 2010

Restaurante Club House da Penha Longa, Serra de Sintra

Prefere o viajante os locais modestos às tascas finas e presunçosas, que não pode pagar. Mas por vezes calha ser convidado. E para locais mais distintos. Foi o que sucedeu com a Club House da Penha Longa, sítio que supostamente deveria servir de bar e restaurante de apoio ao clube de golfe local, mas que parece que acabou por tornar-se num lugar de referência para quem cultiva o caro desporto de comer em restaurantes estrelados.

A decoração do restaurante é assumida e provocadoramente vanguardista, com grande predomínio de acrílicos e metalizados, que têm em vista criar ambiente propício para experimentalismos culinário como os que aqui se praticam.
O chef (não é o viajante habitué destes lugares, mas diz que assim tem que se referir chamar, mesmo em português, aos artistas culinários da moda) da casa, que não é residente, é Sergi Arola, o catalão consagrado em Espanha, por ser também o chef do Hotel Arts, em Barcelona e de um ou dois lugares mais, em Madrid. Ao que parece, vai abrir outro restaurante em São Paulo, a novíssima meca da culinária sofisticada.
Sergi Arola obteve já, pelas suas artes no Arts, duas estrelas do guia Michelin. Além disso, conquistou o Prémio Nacional de Gastronomia de Espanha, em 2003. Foi discípulo de Ferran Adriá do mítico El Bulli e cultiva uma imagem de excentricidade chique: anda sempre de moto, usa roupa de cabedal e um brinco na orelha. Actualmente é o autor das ementas da classe executiva da Ibéria - Linhas Aéreas de Espanha. Não conseguiu nunca o viajante voar em executiva nesta companhia de nuestros hermanos que, tantas dores de cabeça lhe tem dado, sobretudo em ligações perdidas, mas as fotografias da revista de bordo prometiam!
Da passagem no Club House da Penha Longa, reteve o viajante na memória umas sardinhinhas de escabeche, cruas claro, umas batatinhas alioli de formato diferente e um bacalhau de estalo, sobre espigas de milho.

Sem comentários: