sexta-feira, setembro 30, 2011

Javardair

  Podendo, evita o viajante a Ibéria. Com esta companhia já lhe aconteceu de tudo: aviões velhíssimos, cadeiras avariadas ou partidas, atrasos de muitas horas nunca explicados aos passageiros, overbooking (esta é frequente), perdas de ligações...
Mesmo quando tudo corre bem, o serviço é mau: em geral, as hospedeiras da Ibéria são deselegantes e muito (por vezes mesmo muito) antipáticas. Sobretudo nos voos intercontinentais, para as Américas.

A fotografia seguinte foi tirada no aeroporto de Madrid. Estava calor e o piloto decidiu tapar os vidros do cockpit com jornais, para que o sol não lhe batesse. Poderia ser na Javardair, mas desta nem os rapazes do Gato Fedorento se lembraram
E fica ainda a seguinte história, recente, do verão de 2011: no voo matinal de Lisboa para Madrid, o avião saiu atrasado porque tinha um pneu furado. Mesmo! E no regresso, porque o aeroporto de Lisboa estava congestionado, como o avião da Ibéria não tinha gasolina para fazer um pouco de espera no ar, foi desviado para Badajoz, porque estava a acabar-se-lhe a gasolina. Na mesma jornada, um pneu furado e uma aterragem forçada por falta de gasolina. Se não o tivesse vivido, não acreditaria o viajante.

Sem comentários: