sexta-feira, maio 25, 2012

Igreja Monumento de S. Francisco, Porto

  O viajante tem corrido montes e vales de países distantes, ou avenidas e vielas de cidades enormes, para encontrar e visitar aquilo a que os guias de viagem chamam “uma jóia da arquitectura…”, ou “um excelente exemplar de…”. E nem sempre lhe ocorre que há muitas destas “jóias” ou “exemplares” aqui ao pé da porta, ou numa cidade próxima, mesmo à mão para uma visita de fim de semana.
Não conseguiu evitar esta conclusão quando calhou passar, muitos anos depois da última vez, na Igreja da Ordem Terceira de São Francisco, no Porto. É um monumento exuberantíssimo, que impressiona pela riqueza da talha dourada, ao melhor nível mundial. Tão deslumbrante como esta, apenas conhece o viajante a Capela Dourada, no Recife, Brasil.
Todavia, esta igreja de raiz românica, como qualquer jóia, tem que ser descoberta. Parece um enorme cristal de ametista, cinzento feiote por fora, mas muito brilhante por dentro.
Na verdade, o exterior muito discreto desta igreja, deve a sua modéstia à raiz românica, depois corrigida com o advento do gótico – o templo teve origem no século XIII e ficou pronta no século XV. Mais tarde, no decurso dos séculos XVII e XVIII, o interior foi remodelado, para acertar passo com a riqueza e exuberância que atravessava o Porto nessa época. Foi então todo o seu interior revestido com madeira trabalhada, dourada. Esta talha dourada veio a ser continuadamente enriquecida, ao longo do tempo, dando origem a um dos mais vistosos exemplares de talha dourada em Portugal.
Impressionou o viajante a imensa luz que entra pelas frestas e que reverbera no dourado das paredes e dos altares. Mas impressionou-o também a riqueza dos trabalhos escultóricos. Toda a igreja está cheia de esculturas em madeira, nem sempre dourada: há vários trabalhos riquíssimos de madeira policromada.
Talvez por isso, este discreto templo tenha sido classificado como monumento nacional em 1910, vindo depois a ser integrado no património mundial classificado pela Unesco, em 1996. O monumento está aberto todos os dias a partir das 9 horas (no verão fecha às 20 horas e no inverno às 17:30). Fica muito perto da Ribeira, no Porto, na Rua do Infante D. Henrique, logo a seguir ao Mercado Ferreira Borges e ao Palácio da Bolsa. Há estacionamento próximo e fácil.

Sem comentários: