segunda-feira, julho 07, 2008

Capela da Granjinha, Chaves

Conhece o viajante o românico de inspiração visigótica das Astúrias, bem como o românico pirenaico, do qual já deu conta por aqui.
Não sabe, porém, como enquadrar neste contexto, do românico rural antigo, a capela da Granjinha, uma das mais antigas igrejas católicas da região de Chaves, em Trás-os-Montes. É um templo muito pequeno, situado no termo da freguesia de Valdanta, a cerca de dois quilómetros a sudoeste de Chaves, que ganhou a classificação de imóvel de interesse público. É pequena e acanhada, toda construída em granito. Julga-se que teve origem visigótica, mas o seu aspecto actual é românico.

Mereceu especial atenção do viajante a traça muito simples e sóbria, apenas cortada na sua singeleza pelo arco da porta principal. Este arco, de volta inteira, como sempre nas igrejas românicas, tem três arquivoltas muito decoradas, apoiadas em colunas cujas bases e capitéis estão também ricamente trabalhados.
Soube o viajante que na zona foram feitas escavações arqueológicas e que, por debaixo do próprio altar da capela foi descoberta uma ara romana. Apontaram então os arqueólogos para a forte possibilidade de, antes da capela, ter aqui havido uma villa romana, de cujo templo faria parte esta ara.
A capela da Granjinha está habitualmente fechada e pode ser complicado visitar o seu interior. Já a visita exterior é mais fácil. Basta ir lá. Chega-se, a partir de Chaves, tomando a estrada de Casas dos Montes e, depois, de Valdanta. Um pouco antes desta povoação deriva-se para sul, na direcção de granjinha, onde fica a capela.

3 comentários:

Laurus nobilis disse...

Não há dúvida que tenho de passar em Chaves com tempo...

J. Pereira disse...

Tão linda e tão desprezada.

pv disse...

Obrigado pela visita e comentários.