segunda-feira, abril 24, 2006

Munique


A capital da Baviera é uma das maiores cidades da moderna Alemanha unificada.
Fica a sul, muito a sul, já próximo da Áustria e a devastadora destruição da última guerra mundial, não a esmagou tanto. Por isso, tem um centro histórico um pouquito menos pobre que o das outras grandes cidades alemãs.
Durante muito anos, uma das grandes atracções da cidade foi o Estádio dos Jogos Olímpicos de 1972, palco da primeiro grande acto do violento terrorismo moderno. Agora, foi reformado, com a chegada do Campeonato do Mundial de Futebol de 2006.
No século XXI, a cidade preferiria ser conhecida pelas colecções de arte dos seus museus e pelas suas manifestações de arte, sobretudo a música, o teatro e o bailado.
Porém, incontornavelmente, Munique é sobretudo sinónimo das canecas de cerveja de um litro, que aos milhões se bebem na Festa de Outubro. Não será fácil passar nessa altura do calendário pela cidade. Porém, em qualquer outra altura do ano é interessante beber uma caneca ao fim da tarde numa das enormes cervejarias tradicionais da cidade (a Hofbrau ou a Paulaner). Costuma haver música típica ao vivo (aqueles calções tiroleses e os chapéus com penas…) e comida ligeira. A

sábado, abril 22, 2006

Mosteiro de São Vicente de Fora, Lisboa

E tudo começou com um par de corvos, porventura abundantes nos campos ingleses, mas estranhos nos habitats de Lisboa. São Vicente morreu em Valência (a do arroz à valenciana), no século IV A.C., portanto ainda no tempo do Império Romano. Só no século XII os seus restos (concerteza em estado deplorável), foram transportados para Lisboa, num barco onde viajaram, simbolicamente, dois corvos que – evidentemente - não sabiam que iriam ser um dos grandes ícones de Lisboa. O actual mosteiro começou a ser construído no século XVI e foi inaugurado em 1629.

Além da igreja, são visitáveis os claustros e os panteões da Casa de Bragança e dos patriarcas. É imperdível a sacristia, fantasticamente decorada com revestimento de mármores policromos embutidos. Das torres, a vista é imensa.
O mosteiro de São Vicente de Fora é um daqueles gigantes adormecidos, que poucos conhecem, mas que valem a pena. Está aberto de terça-feira a domingo, das 10 às 18 horas. O bilhete custa 4 euros, para adultos.

quinta-feira, abril 20, 2006

O novo aeroporto de Madrid

Em Fevereiro último abriu ao serviço o novo terminal 4 do Aeroporto de Madrid. Reclamam, as autoridades, que será mais ágil e moderno, permitirá servir mais destinos e ter mais frequência de voos. O aeroporto ficou agora dotado de mais pistas, novos acessos por estrada e muitos serviços adicionais. A par disso, o edifício é vanguardista com desenho moderno e muita tecnologia incorporada.


Não obstante, enquanto ponto de passagem de passageiros, tornou-se num edifício descomunal, desumanizado e com percursos longuíssimos para fazer entre avião e avião (o percurso entre duas portas pode chegar a demorar, dentro do mesmo terminal, meia hora). É um monumento ao passado imperial espanhol. Nada é perfeito.

segunda-feira, abril 17, 2006

Hotel Vintage House, Douro Superior

O charme é o de um velho hotel inglês do countryside. Mas a amabilidade dos empregados, essa não podia ser mais transmontana. Deguste-se o vinho do Porto, na mesa da recepção e as laranjas. Valerá a pena beber um copo na biblioteca/bar e jogar uma partidinha na sala de bilhar. Ao levantar, há que disfrutar do pequeno almoço rico e do ambiente calmo, by the river.
O hotel tem restaurante próprio, com ementa cuidada e piscina. A loja de vinhos está bem guarnecida, mas tem preços um pouco expandidos.


Mesmo na época baixa, os preços por quarto duplo serão sempre superiores a 100 €. O hotel fica na vila do Pinhão, concelho de Alijó, nas margens do Rio Douro (telefone 254.730.230), a cerca de 4 horas de viagem de Lisboa (via IP 3 – Viseu) e a cerca de 2 horas do Porto (via IP 4 – Vila Real, Régua).


domingo, abril 16, 2006

A Semana Santa de Sevilha

As fotografias não são da Semana Santa, mas podiam ser. Sevilha tem festas santas durante todo o ano. Há centenas de igrejas e dezenas de confrarias religiosas, cada uma com o seu padroeiro e dia de festa. E rivalizam na dimensão das suas procissões pelas ruas do seu bairro.

quinta-feira, abril 13, 2006

Exército Chinês do Imperador Qin

Em 1974, perto de cidade de Xiuan, na China central, agricultores que escavavam um poço descobriram acidentalmente o maior monumento funerário do mundo: uma cidade inteira, construída em terracota, reproduzindo as riquezas e exércitos do cruel e poderoso Imperador Qin Shi Huang.
Esta cidade, construída no século III antes de Cristo, foi depois enterrada, conjuntamente com o imperador, que acreditava ser imortal e, portanto, queria ter onde viver após a morte, devendo esse sítio ser o mais parecido possível com o sítio onde viveu.
No sítio foi construído o Museu dos Guerreiros de Terracota, cobrindo cerca de 25 quilómetros quadrados e albergando cerca de seis mil soldados, todos diferentes uns dos outros. Apesar de terem mais de 2000 anos, a maioria deles está em perfeito estado de conservação.

Uma exposição itinerante tem percorrido a Europa, mostrando mil do total das cerca de 7000 peças exemplares de guerreiros, cavalos, carros e armas.
Estas fotografias foram tiradas em Berlim.

terça-feira, abril 11, 2006

Tapas

Não se sabe bem qual a origem das tapas nem do seu nome. Em Espanha são uma instituição, já exportada para outros países. Sevilha reclama a sua invenção, explicando-se a expressão por na sua origem estar o uso de servir uma fatia de pão com presunto ou chouriço a acompanhar (sendo colocada em cima, tapando) as pequenas taças de vinho (fino, amontillado ou manzanilla) nas tascas locais.